23.1.12

Noite

Não quero poesia mas coisa de mãos
Um seio com a forma da palavra seio
Um corpo carregado de metáforas
E a métrica incerta dos teus beijos
Quero rimas feitas com os dentes
Morder-te as pernas com as pernas
E gemer iambicamente por ti
Quero-te do outro lado disto
Trocar os dedos pela boca
E as minhas noites por nós

Sem comentários:

Publicar um comentário

 
Add to Technorati Favorites Free counter and web stats