29.5.09

Acordar um Dia XXVII

Acordar um dia...pois sim, isso. Coisas que se vão dizendo. Mas quem o diga pese a palavra atrás da língua. O sono e a vigília, aceso e desligado, numa dualidade perfeitinha e escorreita. Mas não é exactamente assim, pois não? Entre um e outro quantos graus e degraus? Quanto pesa um sono descansado? Quanto luz na lucidez? Muita, pouca? A que horas nos vamos sabendo despertar? Quanta noite dormimos?
Os olhos que fecham o mundo nem sempre abrem o sono, é assim não é?
Pois, é isso.

Sem comentários:

Publicar um comentário

 
Add to Technorati Favorites Free counter and web stats