8.3.13

Somo-nos


e afinal é isto e só isto
será? que seja, quero
dias todos assim, assim
boca, assim duas mãos
seguras por beijos e medo
da luz um corpo amanhecido
de muito mudas as palavras
e tão dentro dos teus olhos
vemos tudo o que não era
e somos o que não fomos
porque adormecemos inteiros
por dentro de dentro de nós
ao fundarmos um nosso verbo


4 comentários:

  1. Тhanκfulness to mу fаtheг who shаreԁ wіth me about this wеbpage, this webρаge is actually rеmarκable.



    My wеbρage http://www.Sfgate.com/business/prweb/article/V2-Cigs-Review-Authentic-Smoking-Experience-or-4075176.php

    ResponderEliminar
  2. Nuno, ler o que escreve é sempre bom e belo. Você leva seu leitor a esta fusão do que está dentro de nós com o que escreves e nos desperta. obrigada.

    ResponderEliminar
  3. "nem pretérito nem futuro tem
    o estranho verbo nosso"

    (lembrei-me)

    ResponderEliminar
  4. Acordei hoje no sonho desta poesia!

    ResponderEliminar

 
Add to Technorati Favorites Free counter and web stats