14.12.11

Ainda

Não creio em deus nem no amor
não faço figas, não digo o teu nome
mas ando por aí onde não me vês
de mãos nos dedos a contar noites
e a sentir muito as horas inteiras
Faço versos brancos que não és tu
nem as ruas vazias de tanta gente
nem nada que sirva, nada de bom
Sonho às vezes, sonho contigo
e connosco, alegrias pequenas
que não acordam nem lembro
Não creio em deus nem no amor
mas rezo ainda e penso em ti

6 comentários:

  1. Nuno, desejo a ti, teus familiares e todos os visitantes do teu blog um Feliz Natal. Aproveito para informar que dia 02 de janeiro estreia Urbanascidades 2012, igual mas...diferente.
    Paulo Bettanin.

    ResponderEliminar
  2. Boa noite.
    Desculpa o incomodo, mas venho hoje pedir que olhe com carinho meu blog de resenhas literárias, o O Leitor.
    Se puder fazer parte, agradecemos.

    Obrigada e uma ótima sexta-feira. Beijos,

    Pamela.

    ResponderEliminar
  3. é difícil comentar a poesia lírica, a poesia de amor, é um negócio íntimo. e ao mesmo de tempo de todos.

    ResponderEliminar
  4. olá Nuno!

    Comecei hoje a ler o teu livro "No meu peito não cabem pássaros" e confesso - estou a gostar muito!!

    Aquando a compra do livro reparei num pormenor engraçado. A tua formação profissional é a mesma que eu estou a tirar. Estou no 2º ano do curso de Gestão do Património na ESE.

    Agora que encontrei o teu blog, vou segui-lo.

    Parabéns pela tua inspiração.

    Abraço

    Ricardo Rodrigues dos Santos

    ResponderEliminar

 
Add to Technorati Favorites Free counter and web stats