1.3.11

Acordar um Dia XLIII

Acordar um dia como deus manda. Os dez mandamentos na agenda e um coração pio como de ave o canto.
Depois aquilo, e ele a rir-se, o cabrão… Que me perdoe o altíssimo, mas ficou tudo fodido, tudo assim mesmo, sou eu que o digo.
Amei-me a mim, mais do que tudo, praguejei até ficar rouco, e nem quis saber se era domingo. Insultei-lhe a mãe e o corno do pai e depois matei-o, o espigão da sachola bem enterrado no olho esquerdo enquanto o direito me olhava com pouco querer.
Fui a casa dele e tratei-lhe da mulher, levei o dinheiro que encontrei e disse-lhe que esperasse o marido caladinha, prometi-lhe mais para cedo e decidi que aquela casa haveria de ser minha.
É afinal o mal das listas e dos domingos na província. 

Sem comentários:

Publicar um comentário

 
Add to Technorati Favorites Free counter and web stats